January27, 20208 min read
as opiniões expressas pelos colaboradores do Entrepreneur são pessoais.

de fato, todos vivemos situações com pessoas que têm títulos e trajetória, e que estão longe de se comportar como profissionais.

então, qué o que é ter profissionalismo no trabalho? Trata-se da qualidade da excelência aplicada ao desenvolvimento de determinada atividade, onde se destacam os valores, a responsabilidade sobre o processo e o resultado, o compromisso posto na tarefa e a qualidade superior em todo momento.

embora conceptualmente se fale de profissionalismo em pessoas com graus académicos, também se aplica a todos os tipos de profissões, disciplinas como a arte e o desporto, e seria desejável que, por exemplo, na esfera empresarial e dos governos também prospere Esta característica de qualidade superior.

na minha percepção, ter profissionalismo está diretamente ligado à ética do trabalho, ou seja, o conjunto de valores, qualidades distintivas e contribuições positivas de excelência que uma pessoa faz, aplicando seus conhecimentos para alcançar um resultado superador.

Qué o que é falta de profissionalismo?

Por Mais que alguém se diga chamar “profissional”, abundam os casos em que fazem água, e sua falta de profissionalismo está longe de ser tolerável. Exemplos concretos:

  • Impuntualidade

  • incumprimento em prazos e tarefas (prometer e não cumprir)

  • desconhecimento técnico da tarefa

  • Falta de empatia no relacionamento com os outros

  • busca de polêmica e discussão permanente

  • fofocas

  • erros ortográficos; erros gramaticais grosseiros

  • Faça o mínimo esforço

  • dedicar-se a criticar os outros

  • misturar relações amorosas com o trabalho

  • não assumir compromissos

  • Falta de responsabilidade

  • fornecer um mau atendimento

  • gerar mais problemas do que soluções

  • ter tratamento, presença e formas que não estão de acordo com suas responsabilidades.

¿quais são as vantagens de ter profissionalismo?

uma pessoa que é reconhecida com profissionalismo em sua área vai construindo sua reputação positiva. Isto é conseguido no tempo, leva anos e baseia-se em pequenos “profissionalismos” cotidianos que, somados, dão um resultado de excelência e qualidade reconhecível.

ter profissionalismo transforma você em uma pessoa confiável, um espelho que reflete alguns aspectos que outros gostariam de imitar; e, também, em um orgulho interno que aumenta sua auto-estima e auto-avaliação, já que sabe que está fazendo, sempre e sob todas as circunstâncias, tudo o que é humanamente possível no mais alto nível de excelência.

embora esta descrição pareça muito exigente ao lê-la, é assim que se constrói o profissionalismo: dando tudo. Aquele que tem profissionalismo não é morno: ele é apaixonado, comprometido e agrega valor, sua milha extra, em cada coisa que faz.

mesmo em seus pontos fracos (que os têm), aqueles que são reconhecidos por essa qualidade se corrigem, aprendem, estudam, pedem feedback, melhoram permanentemente. Isto é, também, o que os distingue dos outros.

Cómo como lidar com a falta de profissionalismo?

nas empresas e equipes abundam as pessoas com profissionalismo, e alguns com falta disso. No entanto, é tão evidente esta qualidade em uns e em outros, que às vezes o profissional sem compromisso que trabalha “a regulamento” pode chegar a viciar e opacar o trabalho dos que se destacam.

para combater a falta de profissionalismo nas organizações é necessário encarar um programa consistente de qualidade que envolva a todos, já que não chega com que o gestor chame a pessoa a sós e lhe chame a atenção: assim não se produzirá a transformação.

e, bom é saber, haverá pessoas que jamais vão se comportar com profissionalismo, em parte porque lhes dá o mesmo-chama-se mediocridade -, e em parte porque talvez para eles sua medida interna de “dar tudo” é bem baixa, ao nível do chão: frente a isto não há com o que dar.

algumas ideias para encarar o tema:

Fomentar a meritocracia

trata-se de desenhar a estratégia de gestão humana e do talento nas organizações – independentemente do tamanho-onde quem mais se esforça em termos de qualidade, cumprimento e profissionalismo acede a melhores oportunidades. É uma política que precisa ser sustentada ao longo dos anos para ver os resultados. Um aspecto fundamental é na hora do recrutamento de colaboradores: a vara precisa se elevar acima do básico para detectar os melhores e somá-los. É importante que todos saibam como se cresce dentro da empresa, e que isso faça parte de um programa sistemático e regulamentado.

Dar oportunidades de treinamento

embora um profissional venha com uma série de conhecimentos ou experiência em seu assunto, para combater a falta de profissionalismo é necessário continuar treinando permanentemente, não apenas em assuntos duros e técnicos, mas em habilidades suaves. Esse processo de conscientização resultará em uma visualização mais clara se a pessoa tem habilidades para começar a ter profissionalismo ou, após vários meses, será avaliado que ela não conseguirá isso por vários motivos. O enfoque que sugiro é que sempre aposte na oportunidade e possibilidade de auto desenvolvimento para um maior profissionalismo, e não antepor o preconceito que se formou a empresa em relação ao colaborador em questão.

estabelecer prazos para os não profissionais

quando as situações de falta de profissionalismo se repetem e se tornaram um problema para a empresa, é necessário manter avaliações frequentes a respeito do desempenho, dar e receber feedback de qualidade, e estabelecer indicadores do menor ao maior para convidar e desafiar a pessoa a se mover em direção a algo superador. É importante aqui advertir o processo, quanto tempo durará esta avaliação A que está sendo submetido, e as consequências que poderia ter se não se levantasse a bom porto, por exemplo, um despedimento, uma transferência para tarefas menores, etc.

estabelecer um código de ética na prática profissional na empresa

sugiro também que cada empresa estabeleça claramente um código de ética profissional que contemple os aspectos básicos do nível que se exige para o desenvolvimento das tarefas. Aqui o relevante é saber que, assim como se exigirá dos empregados, os diretores, sócios, acionistas e demais integrantes também precisam aderir, assinando-o e que fique constância e arquivo de sua legitimação.

Estimular o compartilhamento de conhecimento e orientação

uma estratégia que aplico em muitas organizações onde trabalho como Coach empresarial e executivo é a de estabelecer programas e políticas permanentes para socializar o conhecimento adquirido pelos trabalhadores. Por sua vez, Pessoas com experiência em determinado âmbito podem transferi-la a outros (inclusive aos que se detectem como carentes de profissionalismo), para estimulá-los e convidá-los a elevar a vara.

Incorporar os não profissionais em projetos que os desafiem, para medir seu desempenho e comprometimento.

para poder avaliar o desempenho daqueles colaboradores carentes de profissionalismo, é possível envolvê-los em projetos especiais e deixar a cargo eles mesmos para que o liderem. Aqui, a regra será muito clara sobre o que acontece se os objetivos não forem alcançados; de que forma eles serão estimulados entre si e como esse processo será monitorado. É uma forma de medir o desempenho, compromisso e qualidade profissional, para visualizar de forma tangível o que podemos esperar deles. Em suma, do resultado final dependerão as decisões a serem tomadas no futuro.

  • talvez você esteja interessado: você só tem uma chance de causar uma boa impressão. Use estas 6 dicas para ter sucesso

Aplicando estas estratégias é possível que alguns “despertem” seu profissionalismo; outros possam ser realocados em outros setores, e, esgotadas as opções, desvincular aqueles que, tendo passado por diferentes instâncias como as descritas neste artigo, não atuaram o suficiente para se mover para um maior profissionalismo em seu desempenho.